«Vocês sabem o que significa amar a humanidade? Significa apenas isto: estar satisfeito consigo mesmo. Quando alguém está satisfeito consigo mesmo, ama a humanidade. » Pirandello

segunda-feira, 29 de junho de 2009

EXPOSIÇÃO DE PINTURA UPP - GALERIA DA LIGA DOS COMBATENTES














QUADROS DOS MEUS COLEGAS: RIBEIRO, FERNANDO, ZÉ, JULIETA, MICHELE, ANOÉMIA, MANUELA BACELAR, MANUELA, HELENA, FERNANDA, ANA MARIA, MARGARIDA, AMÉLIA, ENTRE OUTROS.

domingo, 28 de junho de 2009

COCO AVANT CHANEL

REALIZAÇÃO:
INTERPRETAÇÃO: AUDREY TAUTON ( Gabrielle), BENOÍT POELVOORDE (Balsan), ALESSANDRO NIVOLA (Boy)
O filme é um típico retrato biográfico, tão típico e tão rigoroso no seu academismo, que não consegue libertar-se das convenções do telefilme. A interpretação é boa, não só de Coco, mas principalmente de Balsan.
A abordagem da história vai de Gabrielle em criança, até ao seu lançamento na alta costura

--------------------------------------------------------------------------------------------
Gabrielle Bonheur Chanel (Saumur 1883-Paris 1971) , mais conhecida como Coco Chanel, foi uma importante estilista francesa e uma mulher à frente do seu tempo. A família de Gabrielle era muito numerosa: tinha vários irmãos. O pai, Albert Chanel, era caixeiro-viajante e a mãe, Jeanne Devolle, era doméstica. Depois da morte precoce da mãe, vítima de tuberculose, o pai ficou com a responsabilidade de tomar conta dos filhos. Devido à sua profissão, Coco e uma irmã foram deixadas pelo pai num colégio interno e nunca mais viram o pai. Em 1903, com vinte anos, Gabrielle saiu do colégio e tentou procurar emprego na área do espectáculo, mas não teve muita sorte. Cantava em bordeis e foi dai que lhe veio o apelido de Coco, devido a uma canção que cantava. Com vinte e cinco anos, Chanel conheceu um rico comerciante de tecidos, chamado Etienne Balsan, com quem passou a viver.
Por volta de 1910, na capital parisiense, Coco conheceu o grande amor da sua vida: o milionário inglês Arthur Boyle, mais conhecido por Boy. Boyle ajudou-a a abrir a sua primeira loja de chapéus. Com este relacionamento, Chanel aprendeu a frequentar o meio sofisticado da Cidade Luz. Algum tempo depois, Boyle casou com uma inglesa, casamento de conveniência. Boyle amava Coco, mas como Balsan, a mesma era a amante e nunca a esposa. Gabrielle sente-se chocada, mas aceita este jogo. Boyle passado pouco tempo morreu num acidente de viação. Com este desgosto, Chanel abriu a primeira casa de costura, comercializando também chapéus. Nessa mesma casa, começou a vender roupas desportivas para ir à praia e para montar a cavalo. Pioneira, inventou as primeiras calças femininas. O FILME TERMINA AQUI, MAS A VIDA DE COCO CONTINUA...

-------------------------------------------------------------------------------------------------
No início dos anos 20, Chanel conheceu e apaixonou-se por um príncipe russo pobre, Dmitri Pavlovich, que tinha fugido da União Soviética. Neste período, Chanel conheceu muitos artistas importantes, tais como Pablo Picasso, Luchino Visconti e Greta Garbo.
As suas roupas vestiram as grandes actrizes de Hollywood, e seu estilo ditava moda em todo o mundo. Os seus tailleurs são referência até hoje, também lhes deu fama Jackie Kennedy, que os usava.
Em 1921, criou o perfume que a iria converter numa grande celebridade em todo mundo, o Chanel nº5. O nome referia-se ao seu algarismo da sorte. Durante a Segunda Guerra Mundial, Chanel fechou a casa e envolveu-se romanticamente com um oficial alemão. Reabriu-a em 1954.
No final da guerra, os franceses deixaram de frequentar a sua casa, devido a este romance. Nesta década, Chanel teve dificuldades financeiros. Para manter a casa aberta, começou a vender suas roupas para o outro lado do Atlântico e passou a residir na Suíça. Só mais tarde voltou a França.
Faleceu no Hotel Ritz Paris em 1971, onde viveu anos.

ALMEIDA GARRETT


O PORTO VENERA ALMEIDA GARRETT, A SUA ESTÁTUA ENCONTRA-SE À FRENTE DA ENTRADA DA CÂMARA MUNICIPAL DO PORTO. EM DEGRADAÇÃO ENCONTRA-SE A CASA ONDE NASCEU! É LAMENTÁVEL QUE NÃO SEJA ENCONTRADO UM PROJECTO PARA ESTA CASA, QUE ESTEJA LIGADO À SUA PESSOA EM TODOS OS SEUS VECTORES.

UM POEMA DE GARRETT (UM DOS ESCRITORES MAIS IMPORTANTES DO ROMANTISMO PORTUGUÊS)

Este inferno de amar - como eu amo!
Quem mo pôs aqui nalma... quem foi?
Esta chama que alenta e consome,
Que é a vida - e que a vida destrói
- Como é que se veio a atear,
Quando - ai quando se há-de ela apagar?
Eu não sei, não me lembra: o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonho talvez... - foi um sonho
- Em que paz tam serena a dormi!
Oh! que doce era aquele sonhar...
Quem me veio, ai de mim! despertar?
Só me lembra que um dia formoso
Eu passei... dava o sol tanta luz!
E os meus olhos, que vagos giravam,
Em seus olhos ardentes os pus.
Que fez ela? eu que fiz? - Não no sei;
Mas nessa hora a viver comecei...
----------------------------------------------

sábado, 27 de junho de 2009

ROMANTISMO

AUTOR ? (REÚNE ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DO MOVIMENTO ROMÂNTICO)
FRIEDRICH - VIAJANTE OLHANDO UM MAR DE NÉVOAS

DELACROIX - LIBERDADE GUIANDO O POVO

TURNER - MAR DE TEMPESTADE

sexta-feira, 26 de junho de 2009

MICHAEL JACKSON (TRILLER) - 1958-2009

É PÁ ESTAMOS NA CAUDA DA EUROPA, MAS SOMOS BONS!


PORREIRO PÁ, SOMOS BONS!...


ATÉ NO PIOR SOMOS OS MELHORES!...

quinta-feira, 25 de junho de 2009

PIANO CONCERTO Nº.20 DE MOZART (EXCERTO) DIRIGIDO POR PIERRE BOULEZ E TOCADO AO PIANO POR MARIA JOÃO PIRES

PARABÉNS PIOLHO!?...

Piolho para os amigos e clientes habituais, o nome originário deste café, um dos mais antigos da invicta, é Âncora D`Ouro. A funcionar desde 1909, foi rebaptizado por estudantes de medicina que acharam o nome Piolho mais apropriado. Actualmente é uma das referências do Porto, pela sua história. O Café "Piolho" vai comemorar no sábado os seus 100 anos de vida. e vai haver grande festa. Entre os eventos que pode já anunciar, o seu proprietário José António Martins destacou que "na data que oficialmente se celebra o centenário, 26 de Junho, será descerrada uma placa alusiva à efeméride por iniciativa da Federação Académica do Porto"."Temos ainda prevista a edição de um livro, com a história dos 100 anos do Piolho, da autoria de Reis Lima, neto de um dos fundadores". Igualmente foi realizado um vídeo, que pode ser visto em: htpp://193.137.35.180/videos/ab8pD2K8.Situado na Praça Parada Leitão, em frente ao edifício da antiga Reitoria da Universidade do Porto, desde a sua fundação, tornou-se num centro de tertúlia estudantil e intelectual, testemunhando lutas de gerações de estudantes contra a ditadura. No seu interior existem bastantes placas de fim de curso, sobretudo de Letras, Medicina, Ciências e Engenharia, que são como uma despedida dos estudantes. "O Café Âncora D'Ouro foi centro de convívio por excelência... foi e sempre será o nosso querido Piolho (...)", lê-se numa placa que marca a comemoração dos 50 anos de Licenciatura do Curso Médico 1948-1954, uma das muitas dezenas exibidas nas paredes do estabelecimento.

AUTO-ESTIMA

Há pessoas que têm uma auto-estima que até impressiona!...São pessoas que se julgam excepcionais, tão cheias de bons sentimentos, tão certas das suas ideias e pareceres!...Outras andam por aí sempre a questionar-se, sempre à procura que alguém as convença, que têm algum valor!...Eu não sou uma «gatinha» quer ser um leão...tanto também não! Sou uma «gatinha» que quer ser apenas «gatinha», mas que seja respeitada e valorizada, quando for caso disso!

quarta-feira, 24 de junho de 2009


ANTERO DE QUENTAL

Contemplação

Sonho de olhos abertos, caminhando
Não entre as formas já e as aparências,
Mas vendo a face imóvel das essências,
Entre idéias e espíritos pairando...

Que é o mundo ante mim? fumo ondeando,
Visões sem ser, fragmentos de existências...
Uma névoa de enganos e impotências
Sobre vácuo insondável rastejando...

E d'entre a névoa e a sombra universais
Só me chega um murmúrio, feito de ais...
É a queixa, o profundíssimo gemido

Das coisas, que procuram cegamente
Na sua noite e dolorosamente
Outra luz, outro fim só presentido...

terça-feira, 23 de junho de 2009

S. JOÃO NO PORTO


NA NOITE DE S.JOÃO
VAI P'RA RUA E FAZ A FESTA
LEMBRA-TE QUE NO PORTO
NÃO HÁ NOITE COMO ESTA!...


As pessoas mobilizam-se para fazer e participar na festa, as ruas são enfeitadas e as várias freguesias têm o seu programa de festas, com bailarico, comes e bebes, fogueira para saltar, largada de balões e fogo de artifício o que quer dizer que por todos os cantos do Porto há festa, para além dos sítios mais carismáticos, como a Ribeira e Cais de Gaia, onde é lançado o mais famoso fogo e as Fontainhas.
As pessoas começam por comer sardinhas e cabrito, bem regados com vinho, em casa ou nos restaurantes e depois a festa é na rua.
Há meia-noite há grande concentração na Ribeira para assistir ao fogo de artifício, um momento belo e mágico!...
Até lá as cascatas surgem em todos os sítios, muitos as fazem, mas é célebre na boca das crianças o «tostão para o S. João» (agora é o euro).
Por todo o lado vendem-se manjericos, com quadras alusivas à festa.
Muita gente fica de nariz empinado a ver os balões a passar e não é fácil atirar um balão, o vento nem sempre ajuda!
As ruas são enfeitadas pelos populares, com os balões coloridos de papel.
Obviamente que o martelinho nunca é esquecido (o plástico impôs-se), dantes era o alho-porro, que dava um cheirinho especial ao cabelo, mas também há quem prefira a pluma perfumada, uma flor, um ramo de cidreira. É claro que todas estas coisas é para se meterem com quem passa. Há uma troca de «galhardetes».
Os bailaricos não faltam por todo o lado e muitos vão de freguesia em freguesia, isto é de baile em baile.

A festa nocturna acaba de manhã com um mergulho no mar, para os mais ousados é claro!...

O MUNDO VIRTUAL

O MUNDO VIRTUAL, já me tem ocupado muitas horas à frente do computador, tenho experimentado de tudo e já andei pelo Hi5, Twiter, Facebook, onde quem pretende comunicação com outras pessoas a tem ilimitadamente, de qualquer forma valorizo mais os amigos de carne e osso, mesmo sendo poucos, estar de olhos nos olhos e ver o jogo de expressões características de cada pessoa. Por esta razão nunca troco um encontro com amigos, para estar «amarrada» ao computador. Sou a favor das novas tecnologias, mas preferencio inquestionavelmente uma vida vivida o mais possível. Isto do mundo virtual é muito enganador!...

quinta-feira, 18 de junho de 2009