«Vocês sabem o que significa amar a humanidade? Significa apenas isto: estar satisfeito consigo mesmo. Quando alguém está satisfeito consigo mesmo, ama a humanidade. » Pirandello

domingo, 31 de janeiro de 2010

JÔ SOARES (REMIX PESSOA)


Jô Soares está em Portugal, apresentando «Remix Pessoa». Jô assume-se um apaixonado da obra de Fernando Pessoa, de forma insólita ele vai declamar com sotaque português, considera que «para dizer Pessoa tem que ser com a toada e o encanto da língua portuguesa». O espectáculo tem música de Bully Forghieri. A maioria dos poemas é do heterónimo Álvaro de Campos, nele encontra um tipo de niilismo, que é uma forma de humor.
Jô Soares, que todos conhecemos, tem uma carreira de 50 anos. Há duas dezenas de anos que mantém na televisão o «Programa de JÔ, além de escrever romances, representar e ser director de teatro.

ABERTURA DO ANO JUDICIAL...

OPINIÕES SOBRE A JUSTIÇA EM PORTUGAL NA ABERTURA DO ANO JUDICIAL

CAVACO SILVA – O Presidente da República, terminou o seu discurso apelando a operadores judiciários e órgãos de Comunicação Social para que respeitem o Segredo da Justiça, uma questão de cultura cívica que tem por base a presunção da inocência.
(UM BOM DISCURSO, MAS SÓ UM DISCURSO!???)

PINTO MONTEIRO –Procurador Geral da República – Considerou «imperioso» atribuir meios técnicos e humanos às entidades responsáveis pelas perícias para que a investigação criminal acelere. Há perícias – como exame a uma arma de fogo, por exemplo – que podem demorar 300 dias…
(OS MEIOS NUNCA CHEGAM, BLÁ,BLÁ,BLÁ…)

NORONHA DO NASCIMENTO-Provedor do Supremo Tribunal da Justiça – Disse que os tribunais se ressentiram devido ao aumento da crise e dos processos de dívidas. Agora é possível que se venham a ressentir-se do aumento de processos de insolvência e da criminalidade urbana.
(OS PROBLEMAS VÃO CONTINUAR)

MARINHO PINHO –Bastonário da Ordem dos Advogados – defendeu a gratuídade da Justiça, tal como acontece em Espanha. As exorbitantes taxas praticadas tornaram a justiça num bem de luxo.
GOSTO DE OUVIR FALAR ESTE HOMEM SEM PAPAS NA LÍNGUA)

ALBERTO MARTINS –Ministro da Justiça – Prometeu que fará uma avaliação do novo mapa Judiciário, em funcionamento em três comarcas piloto, e fará as necessárias correcções. O modelo será alargado a todo o país em Setembro. (SEMPRE AS PROMESSAS…)

sábado, 30 de janeiro de 2010

UM POR TODOS...560

560 - decore este número - Não mande gente para o desemprego Quando a SONAE ameaça a produção leiteira nacional, porque passou a comprar "restos" noutros países e quando as várias empresas donas das grandes superfícies viram costas ao arroz produzido em Portugal e vendem arroz de "linha branca", fazendo esses sectores passar por momentos muito difíceis, faz todo o sentido reparar na barra de barras e ver se lá consta o 560 que é o número de produção e fabrico em Portugal.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

NASCESTE ANTES DE 1986? ENTÃO LÊ...

De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos os que nasceram nos anos 60, 70 e princípios de 80, não deviam ter sobrevivido até hoje, porque as caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.
Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.
Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.
Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.
Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem.
Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa com açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá fora.
Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.
Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo monte abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. Depois de acabarmos num silvado aprendíamos.
Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer. Estávamos incontactáveis e ninguém se importava com isso.
Não tínhamos PlayStation, X Box. Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.
Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos á rua.
Jogávamos ao «mata» e a bola até doía!
Caíamos das árvores, cortávamos-nos, e até partíamos ossos mas tudo bem.
Batíamos ás portas de vizinhos e fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados. Íamos a pé para casa dos amigos. Acreditem ou não íamos a pé para a escola; não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem.
Criávamos jogos com paus e bolas. Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem. Eles estavam do lado da lei.
Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre.
Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.
Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo.
És um deles? Parabéns! Tivemos a sorte de crescer como verdadeiras crianças, antes dos advogados e governos regularem as nossas vidas, "para nosso bem".
Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler como era.
Isto, meus amigos é surpreendentemente medonho... E talvez ponha um sorriso nos vossos lábios.
A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em 1986. Chamam-se jovens. Nunca ouviram "we are the world".
Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.
A SIDA sempre existiu. Os CD's sempre existiram. O Michael Jackson sempre foi branco. Para eles o John Travolta sempre foi redondo e não conseguem imaginar que aquele gordo fosse um dia um deus da dança. Acreditam que Missão Impossível e Anjos de Charlie são filmes do ano passado. Não conseguem imaginar a vida sem computadores. Não acreditam que houve televisão a preto e branco. Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados ou a casar.
4. Surpreende-te ver crianças tão á vontade com computadores.
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes com telemóveis.
6. Lembras-te da Gabriela (a primeira vez).
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.

SIM ESTÁS A FICAR VELHO heheheh , mas tivemos uma infância do caraças!?...

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010


A ONU resolveu fazer uma grande sondagem mundial. A pergunta era:
"Por favor, diga honestamente, qual a sua opinião sobre a escassez de alimentos no resto do Mundo."O resultado foi desastroso:
- Os Europeus do Norte não entenderam o que é "*escassez*".
- Os Africanos não sabiam o que era "*alimentos*".
- Os Espanhóis não sabiam o significado de "*por favor*".
- Os Norte-americanos perguntaram o significado de "*o resto do Mundo*".
- Os Cubanos estranharam e pediram maiores explicações sobre "*opinião*"
- O Parlamento português ainda está a debater o que significa "*diga honestamente

*********************

Um menino regressa da escola cansado e faminto e, pergunta à mãe:
'Mamã, que há de comer?
''Nada, meu filho.
'O menino olha para o papagaio, que têm na gaiola, e pergunta:
'Mamã, porque não há papagaio com arroz?
''Porque não há arroz.
''E papagaio no forno?
''Não há gás.
''E papagaio no grelhador eléctrico?
''Não há electricidade.
''E papagaio frito?
''Não há azeite.
'E o papagaio contentíssimo gritava:
-'Viva o Sócrates!!! Viva o Sócrates'!!!

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

MODEST MUSSORGSKY (1839 – 1881)






MODEST MUSSORGSKY, fez parte de, O Grupo dos Cinco, que tinham o objectivo de fazer autêntica música russa, os membros deste grupo, eram: Mily Alexeyevich Balakirev ( 1837-1910 ), César Cui (1835-1918 ), Alexander Porfiryevich Borodin ( 1833-1887 ), Modest Petrovich Mussorgsky ( 1839-1881 ) e Nikolay Andreyevich Rimsky-Korsakov ( 1844-1908 ).

(HOJE ESOU NUMA DE MÚSICA)

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

AMIGO


Mal nos conhecemos

Inauguramos a palavra amigo!

Amigo é um sorriso

De boca em boca,

Um olhar bem limpo

Uma casa, mesmo modesta,

que se oferece.

Um coração pronto a pulsar

Na nossa mão!

Amigo (recordam-se, vocês aí,

Escrupulosos detritos?)

Amigo é o contrário de inimigo!

Amigo é o erro corrigido,

Não o erro perseguido, explorado.

É a verdade partilhada, praticada.

Amigo é a solidão derrotada!

Amigo é uma grande tarefa,

Um trabalho sem fim,

Um espaço útil, um tempo fértil,

Amigo vai ser, é já uma grande festa!


ALEXANDRE O'NEIL

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

VER SÓ COM OS OLHOS
É TRISTE E VÃO
POR DENTRO DAS COISAS
É QUE AS COISAS SÃO


Carlos Queirós (Lisboa, 1907 – Paris, 1949)

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

CAFÉ

Diz o senso comum que o café é prejudicial à saúde. No entanto, Carlos Martins, professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) revela: os malefícios do café para a saúde são quase inexistentes.
A confirmação baseia-se na análise da evidência empírica provada. Várias dezenas de estudos revistos mostram que duas chávenas de café por dia melhoram o estado de saúde – o café tem mesmo um efeito protector no desenvolvimento de doenças como a diabetes tipo dois, a hipertensão arterial, a cirrose hepática, o enfarte agudo do miocárdio, o acidente vascular cerebral, o cancro do cólon e as doenças neurodegenerativas (como a Doença de Parkinson).
“A ingestão de café aumenta o estado de alerta, a concentração e reduz o risco de demência”, explica Carlos Martins. O estudo mostra ainda que deixar de beber café pode diminuir a qualidade de vida do doente podendo levar, em última instância, a um quadro de depressão. No entanto, o cientista alerta que, “cada caso é um caso” e o historial clínico do utente deve ser sempre considerado até porque “as noções de equilíbrio e individualidade são fundamentais em saúde”.
A bebida contém uma série de propriedades nutritivas, composta por uma mistura de hidratos de carbono, nitrogenados (elementos do nitrogénio), lípidos, vitaminas minerais, alcalóides (substâncias de plantas), ácido clorogénico (composto das alcachofras) e ácido cafeico – centenas de substâncias que o tornam tão popular, apreciado e, de acordo com este estudo, saudável na medida certa.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

LHASA DE SELA

Henrique Raposo no Expresso> > > >> >> > O regime morreu. A III República portuguesa está morta. Ainda ninguém> > levantou o corpo, porque as certidões de óbito - em política - demoram a> > chegar. E, neste caso, estamos a falar de três certidões, ou seja, vivemos> > num regime que morreu três vezes.> >> >> > A primeira morte é económica. O modelo> > socialista/social-democrata/democrata-cristão, centrado na caridade do> > Estado e na subalternização do indivíduo, está falido, e brinda-nos com> > recessões de quatro em quatro anos. Basta ler "O Dever da Verdade" (Dom> > Quixote), de Medina Carreira e Ricardo Costa, para percebermos que o nosso> > Estado é, na verdade, a nossa forca. Através das prestações sociais e das> > despesas com pessoal, o Estado consome aquilo que a sociedade produz. Estas> > despesas, alimentadas pela teatralidade dos 'direitos adquiridos', estão a> > afundar Portugal. Eu sei que esta verdade é um sapo ideológico que a> > maioria dos portugueses recusa engolir. Mas, mais cedo ou mais tarde, o> > país vai perceber que os 'direitos adquiridos' constituem um terço dos> > pregos do caixão da III República.> >> >> > A segunda morte é institucional. Como já aqui escrevi várias vezes,> > Portugal não tem um regime político com freios e contrapesos. O partido da> > maioria, seja ele qual for, controla todas as instituições do regime;> > vivemos numa espécie de 'ditadura conjuntural' do partido da maioria. Por> > outro lado, Portugal é um Estado de direito falhado: a nossa Justiça é um> > embaraço confrangedor. A geração que está no poder construiu a democracia.> > Cabe à minha geração edificar o Estado de direito.> >> >> > A terceira morte é partidária. O nosso sistema partidário tem a vitalidade> > de um zombie, pois não responde às necessidades da sociedade. Porquê? Ora,> > porque os partidos portugueses representam os interesses do Estado e não os> > interesses da sociedade. Portugal precisa de reformas que emagreçam o> > Estado, mas os partidos são os primeiros a recusar essas reformas. É> > natural: o emagrecimento do Estado significaria o fim de milhares e> > milhares de empregos para os boys.> >> >> > A necessária dieta estatal passaria, por exemplo, pela reforma do mapa> > autárquico. A actual arquitectura do poder local assenta em pilares> > arcaicos. Em 2009, é simplesmente ridículo vermos o país dividido em 4251> > freguesias e 308 municípios. Como é que um país tão pequeno está> > esquartejado desta forma? Esta situação chega a ser caricata, mas os> > partidos nunca executarão mudanças no mapa autárquico. É fácil perceber> > porquê: com menos câmaras e freguesias, as matilhas de caciques seriam> > obrigadas a sair do quentinho partidário e a procurar trabalho no frio da> > vida real. Enfim, a III República está bloqueada. Os actores que deveriam> > ser as alavancas legítimas das reformas - os partidos - são os primeiros a> > dizer 'não' às ditas reformas.> >> >> > Para esconder as três mortes do regime, os partidos inventaram um mecanismo> > de defesa: o folclore fracturante. A actual conversa sobre o casamento gay> > é só mais uma forma de adiar a chegada do médico legista da III República,> > o regime que morreu três vezes.> >> >> > Henrique Raposo> >

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010


Talvez
Talvez não ser,
é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando
o meio dia com uma
flor azul,
sem que caminhes mais tarde
pela névoa e pelos tijolos,
sem essa luz que levas na mão
que, talvez, outros não verão dourada,
que talvez ninguém soube que crescia
como a origem vermelha da rosa,
sem que sejas, enfim,
sem que viesses brusca, incitante
conhecer a minha vida,
rajada de roseira,
trigo do vento,
E desde então, sou porque tu és
E desde então és sou e somos...
E por amor
Serei... Serás...Seremos...
Pablo Neruda

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

A NATUREZA TEM UMA FORÇA DE VIDA IMENSA, MAS TAMBÉM PODE SER TÃO CRUEL!!!...
NÃO CONSIGO ESQUECER OS MORTOS DO HAITI E OS VIVOS-MORTOS DE TANTO DESGOSTO!...

Na assustadora escuridão da noite haitiana, grupos de pessoas encolhidas ao ar livre cantam canções religiosas em busca de proteção e solidariedade depois do terremoto devastador.
Os cantos e as palmas, principalmente das mulheres, ecoam de morro em morro, de rua em rua, enquanto os haitianos rezam por seus mortos e pedem a Deus que lhes poupe de mais sofrimentos.
Se o omnipresente canto reconforta, os gritos e soluços de crianças feridas - algumas deitadas na rua, apertando feridas ensanguentadas - lembram de forma assombrosa que ainda há muito sofrimento para ser amparado no Haiti, o país mais pobre das Américas.


TODO O MUNDO DEVE MOBILIZAR-SE PARA ESTA SITUAÇÃO

Vários países já arrancaram com uma operação de ajuda. Segundo as notícias, equipes de resgate, cães pisteiros e suprimentos seguiram hoje para o Haiti, por ar e pelo mar. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ordenou uma rápida operação. Especialistas civis e militares começaram a chegar à ilha e aeronaves norte-americanas já começaram as buscas. Outros governos e entidades humanitárias anunciaram o envio de fundos emergenciais, além de realizarem campanhas de arrecadação pela internet.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

SILVIO BERLUSCONI


Este «cromo» tem dado muito que falar, desde crimes financeiros a crimes sexuais, a cenas caricatas, ao nariz partido...até a medidas governamentais muito estranhas, como a política de imigração que tem fortes coincidências com a xenofobia. Há poucos dias foram anunciadas cotas para os filhos de imigrantes nas escolas, o direito à educação em Itália passa a não ser Universal. A viragem da esquerda moderada, para uma direita muito pró capitalista, não tem dado bom resultado.

CASAL McCANN


Este famoso casal, pelas piores razões, voltou a Portugal. Depois de terem posto um processo a Gonçalo Amaral, em defesa do seu bom nome, por ter escrito, A VERDADE DA MENTIRA, resultado da sua investigação e parecer sobre o Caso Maddie. Vão a tribunal e pretendem que todos os livros existentes sejam queimados. Livros queimados era no tempo da Inquisição e em tempos ditatoriais!..Isto é ir contra a liberdade de expressão, um dos valores centrais da democracia. A Justiça decidirá, mas quantos outros livros, não se poderiam queimar por casos similares? Como diz Manuel António Pina, no JN, «uma opinião, vale o que valem os factos em que se sustenta. As opiniões não se queimam, discutem-se, rebatem-se».
Acontece que andamos meses a ouvir falar deste caso, fomos confrontados com situações surrealistas, de todos os lados e com suspeitas de grandes influências nos bastidores. Depois de estarem bastante tempo em Portugal a acompanhar o processo de investigação, zarparam de um dia para o outro de uma forma intrigante, o caso em Portugal foi encerrado, mas só ficaram muitas dúvidas, não só sobre o seu bom nome, como também sobre a sua boa moral.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

«HOMO SUM; HUMANI NIL A ME ALIENUM PUTO» - TERÊNCIO


Casamento gay momento histórico, que acabou com uma discriminação. Os homossexuais sempre foram perseguidos por todos os regimes, mas ainda há muitos preconceitos e vão continuar a ser descriminados e a ser maltratados pela sociedade. Situação similar às é mulheres, que conseguiram a sua independência, mas continuam a ser descriminadas.
Um referendo não tem nenhuma razão de existir, não se pode referendar maiorias.
Levantou-se uma discriminação, o casamento, mas outra continua, a adopção.

sábado, 9 de janeiro de 2010

OLHOS/OLHAR

Que interessa se os olhos são castanhos, verdes, azuis...os olhos podem ser bonitos, mas o mais importante é o olhar. Os olhos vêem-se num lapso, o olhar exige observação...
O olhar pode ser fraterno, solidário, apaixonado...mas também maldoso, perverso, capcioso...

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010


"Sou o que quero ser, porque possuo apenas uma vida e nela só tenho uma chance de fazer o que quero.Tenho felicidade o bastante para fazê-la doce, dificuldades para fazê-la forte,tristeza para fazê-la humana e esperança suficiente para fazê-la feliz.As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas,elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos."

ALGUNS NOMES QUE ME «ENCHERAM» EM 2009

cavaco, sócrates, lurdes rodrigues, rui rio, ferreira leite, santana lopes, oliveira costa, dias loureiro, pacheco pereira, carlos cruz, hugo marçal, dinis, rito,moura guedes, júlia pinheiro, bárbara, furtado, goucha, pinto monteiro , cinha jardim, lili caneças, luís filipe vieira, pinto da costa, paulo portas, alberto joão, valentim, isaltino, avelino torres,casal mccann...os que me ocorrem...

uns por umas razões, outros por outras....




PALAVRAS INSUPORTÁVEIS, POR USO EM EXCESSO OU POR AQUILO QUE REPRESENTAM

diálogo, crise, arguido, desemprego, asfixia democrática, esmiuçar, consumir, botox, magalhães, lifting, défice, juros, psi 20, bpn, bpp, millenium, maddie, casa pia, face oculta, share, freeport, carjacking, bullying, terrorismo, pedofilia, best-sellers, blockbuster, gadget, uau!, mas, pronto!, corrupção, percebes?, sacar, jet-set, telenovela, casamento gay, moção, cavala...
há mais, estas foram as que me ocorreram

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

CORA CALORINA


Cora Coralina, pseudónimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, (Cidade de Goiás, 20 de Agosto de 1889 — Goiânia, 10 de Abril de 1985) foi uma poeta e contista brasileira.
Mulher simples, doceira de profissão, sem grande escolaridade, tendo vivido longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra poética rica em motivos do quotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás.


Saber Viver

Não sei... Se a vida é curta

Ou longa demais pra nós,

Mas sei que nada do que vivemos

Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:

Colo que acolhe,

Braço que envolve,

Palavra que conforta,

Silêncio que respeita,

Alegria que contagia,

Lágrima que corre,

Olhar que acaricia,

Desejo que sacia,

Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,

É o que dá sentido à vida.

É o que faz com que ela

Não seja nem curta,

Nem longa demais,

Mas que seja intensa,

Verdadeira, pura... Enquanto durar


ISTO É UM HOMEM...


video

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Ontem li no jornal uma notícia que me revoltou bastante. Uma governanta da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM), vai começar a ser julgada por crimes de maus tratos, mas o nome da ré não é referido, estamos a dar cobertura a monstros?
Esta senhora determinava que um coelho teria que ser repartido por cerca de 12 utentes, a jardineira de carne só poderia ter um chouriço, a canja era feita só com massa e sem galinha, o leite e os yogurtes eram servidos com prazos de validade ultrapassados, o arroz tinha gorgulho. Os utentes passaram privações e correram riscos na ingestão de comida estragada.
Outro aspecto são as agressões físicas e psicológicas que sofriam. Bofetadas, pancadas na cabeça com chinelos e sapatos, puxões de cabelos, apertões no pescoço, como castigos por desobediência. Há testemunhos de deficientes que tiveram que recorrer à medicina. O Ministério Público sustenta que a instituição tinha alimentos e condições para tratar bem dos deficientes, mas estes eram maltratados unicamente devido a m sentimento de crueldade da arguida.
ISTO NÃO É UM GRANDE FILME DE TERROR?
COMO PODE SER UMA PESSOA TÃO CRUEL?

PARADOXOS DESTE MUNDO - DUBAI


Dubai é um dos sete emirados e a cidade mais populosa dos Emirados Árabes Unidos (EAU), ontem foi inaugurado a torre mais alta do mundo. Custou 1,5 milhões de dólares, tem 200andares, mas só 35 serão habitados, os outros acolherão o Hotel Armani. Dubai é conhecida mundialmente por ser extremamente moderna, "futurista" e com enormes arranha-céus e largas avenidas.

A economia de Dubai foi construída através da indústria do petróleo, mas as receitas de petróleo e gás natural representam actualmente menos de 6% das receitas do emirado. As reservas de petróleo de Dubai diminuíram significativamente e estima-se que se esgotarão em 20 anos. Os sectores Imobiliário e de Construção, Comércio, entreposto e de serviços financeiros são os maiores contribuintes para a economia de Dubai.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

LHASA DE SELA



LHASA DE SELA (1972-2010)


Lhasa de Sela, cantora e compositora nascida em Nova Iorque, mas profundamente influenciada pela cultura mexicana, faleceu no dia 1 de Janeiro deste ano, aos 37 anos de idade, de um cancro da mama, contra o qual lutava há 21 meses.
Desde a primeira vez que a sua voz se ouviu em disco que Lhasa surgiu aos melómanos como um ser vindo de outro mundo. Do seu álbum de estreia, La Llorona, composto a meias com o magnífico músico Yves Desroisiers, constavam apenas baladas cambaleantes, que versavam mitos pagãos mexicanos. Era um disco centrado na guitarra acústica de Desroisiers, com apontamentos de acordeão e banjo, mas que estava longe de ser "bonitinho", muito por força da voz de Lhasa, que dominava cada canção: possuidora de uma voz grave mas ampla, Lhasa tão depressa conseguia soar ébria, como apaixonada, como vingativa e como sensual. Podia ter uma voz de veludo, mas aquele veludo conhecia todo o tipo de nódoas. O êxito de "La Llorona" foi rápido e surpreendente. Lhasa contribuiu para o sucesso do disco: não só era tremendamente bonita como tinha igualmente uma história pessoal incomum que contribuiu, para o mito de "mulher misteriosa". Filha de pai mexicano e mãe americana-judia-libanesa, Lhasa não cresceu como a maior parte das raparigas. Os seus pais eram nómadas, e ela passou os primeiros anos de vida com eles e os irmãos on the road. Após a digressão de "La Llorona" juntou-se a um circo em França. Numa entrevista à Roots World, na altura do lançamento do seu segundo disco, "The Living Road", em 2003, Lhasa confessava que depois da digressão do primeiro disco abandonara tudo para ir para França porque se sentia "a morrer". A vida no circo, rodeada de alguns dos irmãos, era simples e repleta de tarefas, o que lhe agradava. "The Living Road" era um disco mais complexo, com guitarras e banjos. Vasco Sacramento, produtor musical, convidou Lhasa para uma digressão em Portugal. Sacramento disse, numa nota à imprensa, que "Lhasa de Sela não estava interessada no estrelato, na fama ou no dinheiro". Acrescentou ainda que Lhasa "parecia que cantava apenas por imperativo de consciência, sem grandes preocupações com a estratégia de mercado". Lhasa revelou-se ao início uma mulher distante, sempre acompanhada dos seus cadernos, com dificuldade em posar para fotografias. Não gostava que lhe fizessem muitas perguntas e no entanto, uma vez ganha a sua confiança, percebia-se que a sua distância era uma timidez congénita. Tinha o hábito de ouvir mais que falar e observava tudo à sua volta com uma intensidade que podia ser assustadora. Sabia deixar-se aproximar, mas precisava do seu momento de isolamento. Era sem dúvida reservada e intensa e tão doce quanto, ao que nos pareceu, assustada. O terceiro disco, "Lhasa", cantado em inglês, nunca foi devidamente promovido e já foi afectado pelas condições da sua saúde. Por esta altura já Lhasa colaborara com os Tindersticks e com Arthur H, cantor francês, e era um nome mais que firmado. Segundo os seus representantes, Lhasa, que só conseguia fazer o que queria, como queria e quando percebia o que verdadeiramente queria, tinha planos de fazer um disco com temas de Violeta Parra e Victor Jara. O seu site, Lhasadesela.com, abre com uma fotografia, de costas, o rosto encoberto pelo cabelo a esvoaçar ao vento. Em fundo há uma longa estrada. Um salmo diz: "Não serás como a palha que o vento leva." Lhasa teve a coragem de o ser, e foi maior por isso.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

PREVISÕES!?...

Este ano não li nada sobre previsões, será que os astrólogos já não se querem meter em tais enigmas!?...
Algumas perguntas poderão estar na cabeça de alguns portugueses, tais como:
IRÁ O GOVERNO CUMPRIR O MANDATO?
QUEM SERÁ O PRÓXIMO LÍDER DO PSD?
O DESEMPREGO VAI CONTINUAR A SUBIR?
HAVERÁ AUMENTO DE IMPOSTOS?
CONSEGUIRÁ A JUSTIÇA SER MAIS DISCRETA E CÉLERE?
SERÁ QUE O PROBLEMA DOS PROFESSORES VAI SER RESOLVIDO?
E O ACORDO ORTOGRÁFICO VAI CUMPRIR-SE?
SERÁ QUE PORTUGAL VAI VENCER O MUNDIAL?
and so on...

CIRQUE DU SOLEIL - ALEGRIA

domingo, 3 de janeiro de 2010

EIXO DO MAL - BALANÇO DA DÉCADA


Opinião a quatro vozes de sensibilidades diferentes, que por vezes limitam o tempo do programa em devaneios desnecessários e interrupções constantes aos seus parceiros de mesa. Faço aqui uma recolha do que uns e outros foram dizendo.
O QUE MUDOU NA DÉCADA?

POLÍTICA
Pela primeira vez ganhou as presidenciais, um candidato marcadamente de direita. Pela 1ª. vez o PS teve uma maioria absoluta. O crescimento extraordinário do BE, que se foi consolidando durante estes anos. BE partido formado por três movimentos de esquerda que se odeiam, mas que conseguiram fazer uma agenda bem definida contra Sócrates. Estagnação e perda de sentido da Direita, que não sabe que caminho seguir.
PSD muito dividido e no momento muito conservador. Direita mais interessada em opinar, em vez de criar o seu espaço de acção, muita gente a opinar sem convicção ideológica. PSD está envelhecido. Emergência de opinião e não de militância. Durante esta década assistiu-se a uma degradação dos políticos.
Perda de poder político, com outros poderes superiores, a globalização. Toda a gente quer discutir política, mas não exercer política. Sócrates não corresponde à raiz histórica do PS, o partido sofreu um esvaziamento ideológico.
Década perdida, década hipotecada, momento trágico. O maior culpado disso Durão Barroso, com o encontro nos Açores, onde conquistou a visibilidade de um lugar internacional, a sua ida para a UE, matou o PSD, entregando-o às mãos de um incapaz. Os partidos são hoje uma forma de tráfico de influências. O PSD e o PS. 10 anos depois é este o resultado da democracia. Esta foi a década do PS.

JUSTIÇA

Princípio da década surge o caso Casa Pia e ainda não foi resolvido. Isto revela o estado da justiça, o sistema falhou e as pessoas não confiam na justiça. Casa Pia, caso Maddie, não há desenvolvimentos. Uma reforma da justiça todos querem, mas ninguém sabe ou não tem coragem para a fazer, políticos preferem as meias-tintas. Face Oculta e outros, aliança perigosa entre a Política e a Justiça.
Marinho Pinho um homem de grande coragem, homem impoluto, aponta os defeitos, diz umas verdades. Década de descredibilização dos vários poderes, nenhum caso chega ao fim e é clarificado.
Comunicação Social passou a ser uma instância de recurso. A Internet teve um grande crescimento, não tem regulação, muita gente emite pareceres através de blogues, redes sociais…os jornais têm os dias contados. Facebook um grande fenómeno para o bem e para o mal. Wikipédia outro fenómeno, as pessoas gratuitamente vão acrescentando conhecimentos e os resultados têm uma grande percentagem de segurança, com qualidade. Google o grande motor de pesquisa mundial, dizem não mexer nos conteúdos, mas quando aparecia a cara de Michelle como um macaco, mexeu, estas situações são perigosas.

ACORDO ORTOGRÁFICO


Enquanto, no Brasil, a adoção do acordo ortográfico completa um ano a passos largos, nos outros sete países de língua portuguesa, a reforma engatinha. O Brasil foi o único país a adotar medidas concretas para disseminar as novas regras, como a conversão de livros didáticos, o uso nas escolas e a mudança da forma de escrever na imprensa. Em Portugal, onde a maior parte da população se opõe ao acordo, a implantação é vacilante e cheia de indefinições. Por enquanto, apenas alguns jornais adotaram a regra unificada (Sol e Agência Lusa). Novos passos devem ser dados a partir de agora. A ministra portuguesa da Cultura, Maria Gabriela da Silveira Ferreira Canavilhas, anunciou que a Agência Lusa e o Diário da República começariam 2010 com escrita renovada. Ao mesmo tempo, uma ação contraditória partiu de outro setor do governo. Em dezembro, a ministra da Educação, Isabel Alçada, recuou da decisão de adotar o acordo no sistema de ensino já no novo ano. Estamos a pensar a estratégia, mas ainda não estão definidas metas. Não é no próximo ano ainda (em 2010). Temos de fazer todo um trabalho com os diferentes parceiros para definir a forma como o acordo ortográfico será introduzido – disse, em entrevista ao jornal Público.


[Eu sou contra o acordo, considero algo desnecessário e com altos custos, o texto acima vai escrito pelas regras do acordo, mas não sei se vou e quero alinhar nisso!]

sábado, 2 de janeiro de 2010

TRAGÉDIA NO BRASIL


As derrocadas provocadas pelo mau tempo que se abateu sobre parte do território brasileiro, já causaram a morte de pelo menos 75 pessoas. O Estado do Rio de Janeiro foi o mais afectado, com 62 das vítimas mortais já confirmadas. Só em Angra dos Reis, no litoral Sul do Rio de Janeiro, um deslizamento de terra matou pelo menos 41 pessoas. Além das vítimas mortais, as difíceis condições climatéricas provocaram inúmeros desalojados e deixaram várias cidades sem energia eléctrica. Tenho acompanhado este acontecimento pela televisão e solidarizo-me com as vítimas desta tragédia. Os depoimentos das pessoas afectadas são bastante impressionantes.

SHERLOCK HOLMES



Realizado por Guy Ritchie
Com Robert Downey Jr., Jude Law, Rachel McAdams

O que me levou a ver este filme, o Sherlock holmes de Sir Arthur Conan Doyle!...
Entre os inúmeros aspectos completamente inusitados do filme destaca-se a construção da personagem de Sherlock, aqui interpretada por Robert Downey Jr. O cerebral detective londrino que conhecemos, surge transformado num homem decadente ainda que dotado de uma invulgar capacidade dedutiva.Guy Ritchie, usa e abusa de cenas típicas de filmes de bandidos, como perseguições de cortar a respiração, lutas brutais onde o sangue jorra a rodos, explosões hollywoodescas e momentos de grande adrenalina como o da morte iminente da bela Adler na máquina de cortar carne.
Há bastantes momentos divertidos na película conseguidos pela exploração dos recursos técnicos. No final do filme, fiquei a pensar que o protagonista tanto se podia chamar Sherlock Holmes como ter outro nome qualquer, funcionando a figura concebida por Doyle apenas como uma referência longínqua. O que fica do filme são as cenas a que Hollywood nos habituou, onde mais que os actores brilham os duplos agora sobre o cenário da Londres vitoriana ainda que filmadas com alguma originalidade pelo realizador.

DISCURSO DE ANO NOVO


Presidente da República alerta para “situação explosiva”

Cavaco Silva traçou um perfil pessimista da situação económica e social em Portugal.
Cavaco Silva apontou o desemprego, o desequilíbrio das contas públicas e a dívida externa como os principais problemas que afectam o país. Este cenário conduz o país para uma "situação explosiva" e que só com exigência e responsabilidade dos titulares dos cargos públicos poderá ser recuperada. Cavaco Silva referiu-se ao Orçamento de Estado como o momento para uma concertação.


sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

LIVRO DO DESASSOSSEGO


Tudo é encontrar alguma coisa. Mesmo perder é achar o estado de ter essa coisa perdida. Nada se perde; só se encontra qualquer coisa. Há no fundo deste poço, como na fábula, a Verdade. Sentir é buscar.
O caminho da filosofia não é do Conhecido para o Desconhecido, mas do Desconhecido no Conhecido para o Desconhecido em si próprio.
O problema central da filosofia é a filosofia que a si própria se põe como problema.
O homem não sabe mais que os outros animais; sabe menos. Eles sabem o que precisam saber. Nós não.
Esperar pelo melhor é preparar-se para o perder: eis a regra. O pessimismo é bem grande, é fonte de energia.

Livro do desassossego - Bernardo Soares (Fernando Pessoa)

COMO SEMPRE O EXCELENTE CONCERTO DE ANO NOVO