«Vocês sabem o que significa amar a humanidade? Significa apenas isto: estar satisfeito consigo mesmo. Quando alguém está satisfeito consigo mesmo, ama a humanidade. » Pirandello

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

ERIC SATIE



ERIC SATIE (1866-1925)



Eric Alfred Leslie Satie, nasceu na região da Normandia, em França. Com a morte da mãe foi com o pai para Paris e foi criado pelo seu tio boémio, Adrien Satie.
Com 14 anos ingressou no Conservatório de Paris, onde foi depreciado pelos professores, sendo considerado medíocre, preguiçoso, imprestável e sem o menor senso de ridículo.
Tornou-se pianista no Chat Noir e no Auberge du Clou onde conheceu Debussy. Com quase 40 anos, surpreendeu todos, quando resolveu voltar a estudar. Em 1905 ingressou na Schola Cantorum de Paris e estudou contraponto e orquestração com Vincent d'Indy e Albert Roussel.

Era excêntrico e irreverente. Além de compor, Satie também gostava de escrever, prosa e poesia e de fazer caricaturas, inclusive dele mesmo. Seus escritos autobiográficos, Mémoires d'um Amnésique, fizeram sucesso. Seu único amor foi a vizinha pintora e modelo dos pintores Renoir e Degas, Suzanne Valadon. O romance, durou seis meses, Satie pediu-a em casamento logo no primeiro dia, mas ela casou com outro.
Foi o inventor da música ambiente, que ele chamava de musique d'ameublement. A música usada como uma mobília, para preencher o ambiente. Segundo ele, era uma música que fazia parte dos ruídos naturais, sem se impor, anulando os estranhos silêncios que ocasionalmente caíam sobre os convidados. Mas a sua música não funcionava porque as pessoas insistiam em ficar quietas prestando atenção ao seu desempenho. Na época a sua ideia pareceu uma piada. Foi também um dos precursores do minimalismo, abolindo as estruturas complexas e sofisticadas, com absoluto despojamento e simplicidade da forma. Foi mentor do grupo chamado, Les Six, uma banda de vanguarda que reagiu contra a influência do romantismo e do impressionismo na música. Esse grupo era composto por Darius Milhaud, Arthur Honegger, Francis Poulenc, Georges Auric, Louis Durey e Germaine Tailleferre, e tinha a supervisão de Jean Cocteau.
Ele e Picasso foram grandes amigos. Picasso disse que Satie foi uma das influências mais importantes na sua vida. Em 1917 os dois trabalharam juntos no Ballet Parade, para o Balet russo de Diaghilev. Satie compôs a música, inovadora e original, na qual incorporou sons de máquina de escrever, sirene e tiros de pistola, e que foi objecto de escândalo. Picasso cuidou do cenário e do vestuário. E Jean Cocteau escreveu o argumento. Foi onde apareceu pela primeira vez o termo surrealismo, usado por Appolinaire sobre o Parade, para descrever uma criação artística que explora o mundo dos sonhos e do subconsciente. O Movimento surrealista chegou mais tarde. Sastie, escreveu Sócrates, drama sinfónico para quatro sopranos e pequena orquestra, com textos de Platão. A sua obra-prima que marcou a sua mudança de estilo e género.
A música de Satie foi na altura apreciada por poucos e desprezada pela maioria dos compositores e críticos musicais, mas tornou-se cult entre os jovens compositores, que eram atraídos pelos títulos bem-humorados de suas peças, e exerceu grande influência nos seus amigos, os notáveis contemporâneos, Debussy e Ravel, mudando assim o curso da história da música. Foi inovador por ter criado o Ragtime, estilo de pré-jazz, com as suas estruturas minimalistas.
Após anos de bebedeira, morreu de cirrose.

(Wikipedia)

terça-feira, 29 de setembro de 2009

TRAILER DE ABRAÇOS DESFEITOS

ABRAZOS ROTOS (ABRAÇOS DESFEITOS)


Abraços Desfeitos - Título Original: Los abrazos rotos
Espanha : 2009
Realização:
Pedro Almodóvar
Interpretação:
Penélope Cruz, Rubén Ochandiano, Blanca Portillo, Ángela Molina, Alejo Sauras, Lola Dueñas

Argumento:

Um homem escreve, vive e ama na escuridão. Catorze anos antes, foi vítima de um brutal acidente de automóvel, na ilha de Lanzarote. No acidente, não só perdeu a vista como também Lena, o amor da sua vida. Este homem usa dois nomes: Harry Caine, um pseudónimo com que assina os seus trabalhos literários, histórias e argumentos para cinema, e Mateo Blanco, o seu verdadeiro nome, com o qual vive e assina os filmes que dirige. Depois do acidente, Mateo Blanco reduz-se a si próprio ao seu pseudónimo, Harry Caine. Se não pode realizar mais filmes, só consegue sobreviver com a ideia de que Mateo Blanco morreu em Lanzarote com a sua amada Lena. Nos dias de hoje, Harry Caine vive graças aos argumentos que escreve e à ajuda da fiel e antiga produtora, Judit García, e do filho desta, Diego, o seu secretário, escrivão e guia. Desde que decidiu viver e contar histórias, Harry é um cego activo e atraente, que desenvolveu todos os outros sentidos para melhor gozar a vida, na base da ironia e da amnésia selectiva. Ele apagou da sua biografia todos os traços da sua primeira identidade, Mateo Blanco. Uma noite, Diego tem um acidente e Harry toma conta dele, já que Judit está fora de Madrid e os dois decidem não a avisar, para não a alarmar. Durante as primeiras noites de convalescença, Diego pergunta-lhe pelo tempo em que respondia pelo nome de Mateo Blanco. Depois de um momento de surpresa Harry não consegue recusar e conta a Diego o que aconteceu catorze anos antes, da mesma forma que um pai conta a um filho uma história para adormecer.

MAIS UM FILME DE ALMÓDOVAR CHEIO DE SENSIBILIDADE E BELEZA. COM ÓPTIMAS INTERPRETAÇÕES.

FILIPINAS


Nas Filipinas, já morreram 240 pessoas (últimos números) devido à passagem da tempestade tropical "Ketsana" e um novo temporal na ilha de Luzon, está à vista. Aumentam as críticas ao Governo, pela lenta resposta à tragédia.
Estão a ser feitas escavações para encontrar mais corpos, porque há muitas pessoas desaparecidas. Outra parte da população, está na situação de desabrigada pelas inundações, que provocaram enchentes e deslizamentos de terras.
O Serviço de Meteorologia advertiu, que um sistema de baixa pressão, já se transformou em tempestade e pode transformar-se em tufão, antes de tocar terra nos próximos dois dias, embora não descartem, que possa desviar-se para Taiwan.
HÁ ZONAS DO PLANETA MUITO FUSTIGADAS POR ESTAS TRAGÉDIAS E OUTRAS ONDE NEM SE PENSA COMO SERÁ PASSAR POR ESTES TORMENTOS! SÓ POSSO DIZER QUE ESTOU SOLIDÁRIA COM AS PESSOAS DAS FILIPINAS.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

LOUISE BOURGEOIS











Louise Bourgeois, nasceu em Paris em 1911. Estudou, na Sorbonne, École du Louvre e École de Beaux-Arts e foi aluna de Fernand Léger.

Em 1938 emigrou para os EUA.

Tem tido uma carreira de grande sucesso, expondo em Nova Iorque e no estrangeiro, com obras compradas por vários museus e tendo já recebido muitos prémios, entre eles, em 1997, Bill Clinton, deu-lhe a Medalha Nacional de Arte.

http://translate.googleusercontent.com/images/white.gif

«I have no ego. I am my work.” A obra de Louise Bourgeois tem uma inequívoca dimensão autobiográfica. O confronto com o aspecto obsessivo do seu corpo de trabalho pode emocionar e violentar a audiência mais informada. A militância interior em contraponto ao mundo exterior assume um carácter profundamente universal, respondendo, a partir das reminiscências traumáticas da sua infância, às emoções dicotómicas do quotidiano relacional com as quais sistematicamente negociamos. Tornando visceralmente explícitos o medo, a fractura, o amor, o ódio, a ternura, o ciúme, a culpa, a protecção, a agressão, a sedução, a traição, a força ou a vulnerabilidade, Louise Bourgeois manifesta, do particular para o geral, durante os seus épicos setenta anos de produção artística, uma consciência profundamente humana (trágica e brutalmente cruel) da existência.

domingo, 27 de setembro de 2009

JOSS STONE - VOZ DO SOUL



HÉCTOR OESTERHELD











Em Outubro vai ser inaugurada uma exposição no FESTIVAL INTERNACIONAL DE BANDA DESENHADA DA AMADORA, dedicada a Oesterheld, considerado um dos grandes nomes da banda desenhada sul-americana, composta de retratos, textos, revistas e pranchas. Vão estar presentes os netos, Carlos Sampayo e Óscar Zarate.
Oesterheld nasceu na cidade de Buenos Aires, em 1919. Trabalhou com Alberto Breccia, Francisco Solano Lopez e Hugo Pratt, entre outros e foi o responsável pela personagem do Sargento Kirk. Criou ainda as obras de ficção científica: El Eternauta e Mort Cinder.
Em 1968 publicou «La Vida del Che», uma biografia de Che Guevara, que foi logo proibida e motivou a perseguição de Oesterhield e família, pela ditadura militar vigente. As suas 4 filhas foram raptadas e Oesterhield foi preso e morto em 1977.

sábado, 26 de setembro de 2009

COMO EU GOSTO DA MÚSICA DE DIANA KRALL!!!



ATENÇÃO: DIANA KRALL VEM CANTAR AO PORTO NO DIA 11 DE OUTUBRO (PAVILHÃO ROSA MOTA)

BIN LADEN

BIN LADEN, «VIVO OU MORTO», SUGERIA BUSH. ACONTECE QUE BIN LADEN CONTINUA VIVO E BEM VIVO E VOLTA A AMEAÇAR!?..
( Encontraram o Bin neste joguinho, não é muito difícil, o difícil é encontrá-lo realmente, mas eu até penso que apanhar o Bin, não adiantava nada!...)

O líder da Al-Qaeda acusou a Organização do Tratado de Atlântico Norte (NATO), numa mensagem áudio, de matar intencionalmente mulheres e crianças e exige a retirada dos militares de europeus do Afeganistão. A justiça exige que ponham fim à vossa opressão e que retirem as vossas tropas, refere a mensagem traduzida em alemão e inglês.
O líder da organização terrorista al Qaeda afirma que,
uma das piores formas de injustiça é a de matar as pessoas sem motivo, e é exactamente o que os vossos governo e soldados fazem sob cobertura da NATO, no Afeganistão.
Por isso, Bin Laden apela aos europeus para, acabar com a injustiça e retirar os soldados do Afeganistão.
A EUROPA VOLTA A SER AMEAÇADA SE NÃO SAIR DO AFEGANISTÃO, tendo já sofrido ataques sangrentos em Espanha e na Inglaterra.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009




Mahalia Jackson (1911 - 1972), foi uma das principais cantoras gospel dos Estados Unidos no século XX.

Mahalia começou sua carreira cantando em corais Gospel, estilo musical que a acompanhou por toda a carreira.
Foi a primeira cantora Gospel a cantar no Carnegie Hall de Nova York. Em 1952, fez uma tournée pela Europa e foi aclamada pela crítica como "A maior cantora de Gospel de todos os tempos".
Em 1961, Mahalia cantou na posse do presidente norte-americano John Kennedy.
Em 1963, cantou para 250 mil pessoas, quando Martin Luther King Jr. fez o seu famoso discurso, «I Have a Dream», pelos direitos civis. Também cantou «Take My Hand, Precious Lord», no funeral de Martin Luther King Jr.

Mahalia também ficou conhecida pelos seus esforços em ajudar os outros, criando a Mahalia Jackson Scholarship Foundation, para jovens que gostariam de entrar para a universidade.

PRÉMIO NOBEL DE LITERATURA




Os favoritos de sempre para o Nobel da Literatura, são: Philip Roth e Mario Vargas Llosa, mas os suecos gostam de surpreender.
O prémio Nobel da Literatura para 2009 vai ser anunciado em Outubro e os nomes de quem se fala mais insistentemente, são os norte-americanos Philip Roth e Joyce Carol Oates, o peruano Mário Vargas Llosa, o italiano Cláudio Magris, o mexicano Carlos Fuentes e o holandês Cees Nooteboom.
Parecem ser apostas sensatas, mas o problema é que todos eles, e especialmente Roth e Vargas Llosa, já vêm sendo apontados como candidatos óbvios há muitos anos. Em Setembro de 2008, quem se atreveria a sugerir que os dez milhões de coroas suecas (cerca de um milhão de euros) fossem parar ao bolso de Le Clézio do que a Mário Vargas Llosa?
Olhando para a história do prémio fica mesmo a sensação de que a Academia tem um certo prazer perverso em frustrar expectativas e avançar com um nome de que ninguém esteja à espera.
Além dos autores já referidos, podia citar-se uma lista virtualmente infindável de potenciais nobelizáveis: Umberto Eco, Salman Rushdie, Milan Kundera, Cormac McCarthy, Amos Oz ou Paul Auster, por exemplo, para citar apenas alguns dos nomes. Mas com a Academia Sueca, as únicas especulações que podem ter algum fundamento são as negativas. Ou seja, é improvável que ganhe um autor francês, uma vez que Le Clézio recebeu o prémio em 2008, e não parece também demasiado provável que a escolha volte a recair num britânico, depois de Harold Pinter e Doris Lessing terem sido escolhidos, respectivamente, em 2005 e 2007.
(Público)

ESPANTOSO!?...

Um tesouro vindo do século VII, apitou no detector de metais do desempregado de 55 anos, Terry Herbert, que nos últimos 18, fez da procura de metal a sua vida.A descoberta foi feita num terreno agrícola em Burntwood, no concelho de Staffordshire, em Inglaterra. Ao longo de cinco dias, sempre com a ajuda do seu aparelho, Herbert foi encontrando mais e mais peças do tesouro, enquanto ia ficando cada vez mais assustado com a sua descoberta, até que resolveu pedir ajuda aos peritos. Segundo os especialistas, as 1350 peças encontradas pertenciam à realeza saxónica. Estes eram os melhores artesões que os anglo-saxónicos tiveram, a trabalharem com o seu melhor material, e a produzirem resultados incríveis, disse o arqueólogo Kevin Leahy. Dos vários objectos, saltam à vista punhos de espada com pedras preciosas incrustadas, elmos, cruzes, objectos de ouro como anéis, fivelas, ou pratos e uma pulseira também de ouro com a seguinte inscrição bíblica em Latim: Levanta-te oh Senhor, e faz com que os teus inimigos sejam dispersos e aqueles que te odeiam sejam afastados da tua face. O valor exacto do tesouro ainda não foi calculado, mas é provável que Herbert se torne num homem rico.
EU NÃO SEI COMO... ESTES ACHADOS NÃO SÃO PERTENÇA DO PAÍS? DE QUALQUER FORMA, GOSTAVA QUE ME ACONTECESSE ALGO NO GÉNERO, SÓ PELO ACHADO. DEVE SER UMA EMOÇÃO!?...

(Jornal Público)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

QUESTÃO AMBIENTAL


Obama, contrariamente ao ex-presidente Bush, mostrou-se sensível às questões ambientais, que de facto são um problema para todo o mundo e esta já é uma decisão positiva. Mas há outras, o novo ministro do Japão, anunciou que até 2020, vai reduzir as emissões de CO2 em 25%, enquanto a União Europeia prometeu reduzir 20% e os EUA 14%. O Japão está na lista dos cinco maiores libertadores de gazes para a atmosfera, apesar de ser o primeiro no desenvolvimento das tecnologias limpas. Decisões destas não agradam aos empresários, porque consideram que é uma medida que poderá prejudicar o sector industrial.
O MUNDO DEVE SER UM LOCAL SAUDÁVEL PARA VIVER E NÃO UM LOCAL DE CONSUMO E DE LUCRO!!!!!!!

TAKING WOODSTOCK

ANG LEE - TAKING WOODSTOCK


Ang Lee, nasceu em 1954, em Pingtung, Taiwan e é director, actor e produtor. Tenho gostado de alguns dos seus trabalhos. Lee estudou na National Taiwan College of Arts e depois, já nos Estados Unidos, estudou direção na University of Illinois e produção cinematográfica na New York University. Em 1992 estreou-se como director com "A Arte de Viver". Em 1993 dirigiu "O Banquete de Casamento", que ganhou o Urso de Ouro no Festival Internacional de Cinema de Berlim e o prémio de direcção no Festival de Seattle, além de receber uma indicação para o Globo de Ouro. Em 1994, Lee lançou, "Comer Beber Viver". Um ano depois realizou "Sensibilidade e Bom Senso", filme, baseado no romance de Jane Austen.
Em 1997, dirigiu, "Tempestade de Gelo". Em 2000,"O Tigre e o Dragão", que ganhou dois Globos de Ouro no Festival de Cannes. Após as críticas mornas à sua versão de "Hulk", adaptação dos quadradinhos da Marvel Comics, Lee recuperaria o seu prestígio em 2005 com "O Segredo de Brokeback Mountain". O filme, que retrata o romance entre dois homens no preconceituoso e machista meio-oeste americano, pelo qual ganhou um Óscar e um Globo de Ouro.


Acabou de estrear o seu último filme, Taking Woodstock, sobre o festival que mudou a face da América, três dias com mais paz e amor na história da cultura pop norte-americana. Lee adaptou o livro, Taking Woodstock: A true Story of a Riot, A Concert and A Life, de Elliot Tiber e Tom Monte, uma espécie de crónica bem-humorada, do acaso que foi a produção do evento, não só o evento, mas as histórias reais, dentro do género comédia retro. A VER, CLARO!?...

FOTOGRAFIAS IMPRESSIONANTES









CHIÇA!?...A MIM IMPRESSIONARAM-ME, ATÉ ME FICARAM A DOER OS PÉS!?...

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

BEBEL GILBERTO VEM CANTAR A PORTUGAL

LUCIAN FREUD











Lucian Michael Freud, pintor surrealista, expressionista e realista, que nasceu em Berlim, 1922. É filho de pais judeus, Ernst Ludwig Freud, arquitecto, e de Lucie Brasch e neto de Sigmund Freud. Freud e a sua família se mudaram para o Reino Unido em 1933, para escapar ao regime nazista, e ganhou a cidadania britânica em 1939. Lucian estudou na escola Dartington Hall, em Totnes, Devon, e posteriormente na Bryanston School. Tornou-se um pintor de grande sucesso, mas com uma obra que tem suscitado grande polémica, pelos seus nus e pela forma como pintou a Rainha Isabel II.
(COMO FRANCIS BACON E ATÉ PAULA RÊGO, É UM MUNDO MUITO COMPLEXO E CHOCANTE)

HÁ 70 ANOS MORRIA FREUD


Sigmund Freud morreu, devido a um cancro, no dia 23 de Setembro de 1939. Era judeu e refugiara-se em Londres devido ao nazismo. Setenta anos depois, o médico que sentava os doentes no divã, para lhes ouvir os segredos, continua a dar que pensar, embora sejam discutíveis as suas teses.
No primeiro dia de Setembro de 1939, quando o mundo entrou na II Guerra Mundial, Sigmund Freud o velho cientista, ouviu pela rádio a notícia da invasão nazi da Polónia e as palavras do jornalista, que informava o início da "última de todas as guerras". Freud corrigiu, amargo, o erro: "Da minha última guerra." Três semanas depois, a 23 de Setembro, morreu Freud, o pai da psicanálise. Depois da Alemanha de Hitler ter ocupado a Áustria, o judeu, então com 83 anos, deixou para trás o seu célebre consultório em Viena com a mulher, Marta, e a filha preferida, Ana, para "morrer em liberdade".
Freud era um obcecado com a morte. Além de acreditar que a mesma serviu de pretexto à invenção da religião, ele encarava o fim da vida como missão digna de admiração.
Essa ideia, junto com a de que os seres humanos são dominados pelo desejo sexual, foi uma das que levaram muitos a considerá-lo um louco.

Freud nasceu em 1856 de uma família judaica da Morávia e desde cedo sentiu-se um prodígio. Em 1873, entrou na Universidade de Viena para estudar medicina. Não estava interessado em curar pessoas, mas em compreender os mistérios da natureza - curiosidade que o levou às fronteiras da mente.
Freud criou a psicanálise quando já tinha 40 anos. Mas muito antes disso, começou a levar os sonhos a sério. O austríaco que deitava os doentes no divã, para lhes interpretar os desejos mais secretos acreditava que os sonhos - como antes a hipnose - abriam a porta do inconsciente - a parte submersa da mente, a metáfora do icebergue.
Hoje, como no seu tempo, Freud é amado por uns e desprezado por outros. Mas a sua influência é indiscutível, e ele sabia-o.

terça-feira, 22 de setembro de 2009